Blogger Template by Blogcrowds.


Quando sinto falta de mim, corro para este meu cantinho. Um lugar tão meu e tão de todo mundo, que é engraçado falar sozinha e de repente ouvir alguém do outro lado que não sou eu.

Estou um pouco cansada de mim mesma, acho que me acostumei comigo e como taurina autêntica me entedio facilmente, fazendo com que eu me analise o tempo todo mesmo que irracionalmente.

Me cobro muito em relação a tantas coisas que me perco nelas, tento fazer uma dieta melhor com mais verduras, e caio em tentação quando vejo a barraca de pastel na feira, o lanche no fast food ou o brigadeiro na geladeira. Faço planejamento financeiro mas aceito trabalhar com um salário menor para fazer aquilo que gosto. Aceito mudar de apartamento para adquirir a tão sonhada casa própria mas sofro por saber da possibilidade de não ser exatamente a que quero. Me cobro a racionalidade do custo benefício mas não é fácil ser praticante do desapego.
Tento não xingar as pessoas lerdas no trânsito por ater aprendido o poder da palavra mas me pego gritando nos dias de TPM.
Fico indignada quando me perco das coisas que aprendi, como na terapia radiônica que ensina sobre focar na eficiência das pessoas e não na deficiência.
Sou a romântica que tem esperança de mudar o mundo, me preocupo com a torneira aberta, o banho demorado, mas não consigo separar o lixo.
Tenho milhões de idéias sobre projetos, melhorias nos processos do trabalho, penso, repenso, rascunho, organizo, coloco em prática e me irrito com a desculpa das pessoas que dizem já terem tentado mesmo sabendo que elas tentaram.
Sempre me disponho a ouvir e quando não querem falar me sinto insuficiente, e sou extremamente calada.
Não aceito a desculpa das pessoas mas espero que elas me desculpem, fico brava mas não gosto que fiquem bravas comigo.
Fico quieta quando estou pensativa mas o silêncio alheio me incomoda.
Meu coração mole que sente carinho por uma ou outra pessoa que pisou na bola comigo é algo incômodo, não gosto de me sentir idiota só que ele simplesmente sente, é inevitável.
Rezo para Deus todas as noites, agradeço, peço mas não acredito que ele me ouça, antônimo de tempos atrás. Nisso vario, tem épocas que acredito, outras não.
Nunca gostei de óculos de grau e hoje sou refém deles. Ainda estou me acostumando, vira e mexe, meto o dedo na lente quando tento coçar o olho.
Nunca fui adepta da paciência em ensinar aos outros por isso não espero nada de ninguém. Reaprendi a ser cuidada e tenho prazer imenso em me entregar a isso, mas tenho medo de perder este estado já que tudo na vida é inconstante, e de nada me adianta sentir no fundo do coração que desta vez acertei.
Odeio dar satisfações a maioria das pessoas e fico puta da vida quando mudam seu jeito de agir comigo quando não ajo como esperam. Azar delas, não esperem nada de mim.
Continuo com a péssima mania de pensar que meus amigos lêem meus pensamentos e que se eu não ligo é porque eu acredito de verdade que estão bem e que tem pleno conhecimento de que se precisarem de mim é só chamar.
É difícil entender quando passam dos limites só porque sei exatamente quais são os meus.
Penso demais e falo pouco e o resultado disso é o chackra frontal hiper ativo e o chakra lanríngeo travado. Me esforço na meditação para melhorá-los, depois a correria do dia a dia me pega e tudo fica estático.
Sinto falta de sentir falta e tento consolar aqueles que sofrem com ela. Por mais que eu saiba que cada ser é diferente, espero que consigam alguns resultados que consegui.
Sempre fui diferente e hoje me encontro tão igual as pessoas, que simplesmente me encaixar não faz diferença.
Imagino que seja tão mais fácil ser uma dessas pessoas que vivem em outro mundo, não caem na real, estão sempre no mundo da lua, não vêem a ficha cair.
Esse jeito de ser emocional quando devo ser racional, e raciocinar quando não tem necessidade é esdrúxulo!
Affffff....quanta complexidade, deve ser tão mais fácil ser um gato, mas bem menos interessante!



Imagem: SPACE POST

2 comentários:

adoro te ler...viajo,qse sempre meus olhos se enchem de lagrimas, rio, concordo, discordo, me alegro...me sinto um pouco como um espelho dos seus sentimentos, produz em mim reflexos espontaneos e cortantes. fico curiosa tentando achar em vc a forca e a resposta pra minha dor

19/03/2010 01:31  

Gostei muito dos seus textos e... é mais fácil mesmo, não viver, não arriscar!
Mas não teria graça nenhuma...

29/05/2010 19:46  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial