Blogger Template by Blogcrowds.

o meu coração acelerou de uma maneira indescritível, como se fosse sair pela boca. navegando através do para francisco cheguei ao blog da Renata Rugai e em um trecho deste post ela fala o que sentiu quando sua mãe adoeceu. ERA COMO SE ELA FOSSE EU quando descobri que a Lelê não era um bebê como os outros.

"Sabe que quando você ficou doente enfiei na minha cabeça que se eu desse todo meu amor, você iria ficar boa, acreditava que meu amor te salvaria, achava que meu amor era maior que a morte. Meu amor não te salvou, porque o amor não salva, mas conforta e faz valer a pena.

A vida é assim mesmo, vida-morte, morte-vida, uma não existe sem a outra, mas a gente tem medo do que não sabe né? do acaso, do mistério, queremos respostas o tempo todo e quando não temos inventamos e acreditamos pra assim ficarmos mais tranquilos.

Sei que você foi tranquila porque sabe que nos ensinou a amar, o amor se aprende.
Vc sabia que tem gente que não sabe amar? eu quando encontrei não acreditei, achava que tinha um pouco de amor escondido em algum lugar era só procurar, saber despertar, mas não, tem gente que não aprendeu. E eu achava que a gente nascia sabendo amar, que tola, a gente nasce precisando do outro e depois aprende a amar o outro."



RENATA,
Obrigada.

8 comentários:

Nossa como ela pode arrancar da alma essas sensações, né, Ka?

Talvez seja verdade, mas é triste que alguém creia, piamente, que tem gente que nunca terá a capacidade de amar. Eu não tenho essa certeza, e não quero tê-la, nunca.

Beijos, amor.

26/11/2008 10:16  

Este comentário foi removido pelo autor.

26/11/2008 12:39  

Sabe o que nos assemelha? Não falo sobre eu e você, mas sobre eu, você, a Renata e muitas outras pessoas?
É esse pensamento mágico de que o amor vai evitar a fatalidade.
Minha mãe é hipertensa e tem outros problemas de saúde. A gente vive sobressaltada com os arroubos do coração dela e de vez em quando eu penso que o amor que existe entre nós fará com que ela fique por mais tempo por aqui.Será que é justo que se destrua algo tão bonito? Aí o medo de perdê-la se funde com a vontade de sua presença e tudo isso fica muito frágil diante de uma força que não podemos controlar à nossa maneira.
Viver é fatal.
Na verdade, eu acho que o amor já é fatal. Como a Elga, eu quero acreditar que ele seja. Que esteja em todos e que resplandeça.
Todavia, também tenho a consciência de que embora o amor seja grande, iluminado, NÓS somos frágeis, a vida é frágil. O amor é maior que a morte porque a vida se reconstrói dali. Como já comentamos aqui, cada estrela que morre, é uma supernova acontecendo no infinito.

Morte e Vida severina...
Que o amor que a gente sente, permaneça sempre vivo naqueles que ficarem quando nos formos e que vibre naqueles que se forem quando ficarmos, como sinal inexorável de que é a única razão da nossa existência.

26/11/2008 12:42  

É meninas, incrível mesmo o que o amor faz as pessoas sentirem.
Eu também quero acreditar que todos possam sentí-lo mas sinto em lhes dizer, as vezes, algumas pessoas não se deixam levar pelo que ele causa.
Enfim, o que importa é o que sentimos e como isso nos transforma!
bjs

26/11/2008 14:47  

O amor é a mola principal da harmonia terrena...


Doce beijo

27/11/2008 08:18  

Olá, Karen.
Cheguei aqui através de um comentário que você deixou em meu antigo blog (que está abandonado).

Eu fiz um novo blog http://bysistattoo.blogspot.com e tenho postado lá.

Não imaginava o que iria encontrar aqui. Naveguei no devalentina por quase três horas, li todos os posts. Não imagino quão grande é sua dor! Mas você ganhou uma admiradora de sua persevença e força!

Suas tatuagens são lindas, que as fez? Tem alguma para Valentina?!
Se tiver e puder me enviar para publicar em meu blog, ficaria lisonjeada. bysistattoo@gmail.com

Beijos, querida.

29/11/2008 21:52  

Eu vi a tatuagem, mas não tinha nada que disesse claramente que era pra Valentina, mas supus.
É linda a tatuagem, belíssima. E o post é de uma sensibilidade incrível.

Quando fizer um post sobre o assunto me avise, e se eu puder reproduzi-lo em meu blog seria demais!

Olha, Karen, se quer tatuar, faça aulas de desenho! Qualquer pessoa pode desenhar, não duvide disso. A gente pensa que tem que ser uma pessoa com um dom extraordinário, mas não é verdade. Se você quiser, pode desenhar e muito bem! Existem técnicas que facilitam o trabalho.
No que eu puder te ajudar, com o lance da tattoo, estou a disposição.

Logo mais vou pra São Paulo. Estou programando essa viagem tem um bom tempo, mas é difícil porque tenho que ir pra aproveitar (ficar alguns dias), daí deixar a casa e a família é foda. Mas eu acho que no comecinho de 2009 estou por aí.

30/11/2008 11:19  

Oi Paty,
Poxa até que enfim apareceu! Estava com saudades, que bom que participará, ainda bem que a Elga teve a iniciativa né, se dependesse de mim isso demoraria muito!

Bysis,
Obrigada pelas dicas, meu tatuador me indicou até uma escola de desenho que ele acha boa, farei assim que der!
Pode deixar que aviso quando postar.E obrigada pelo carinho.

bjos

01/12/2008 07:53  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial