Blogger Template by Blogcrowds.

Cicatriz

Olho no espelho e ela está lá, ainda um pouco vermelha, dura, como deveria de ser. O corte foi feito com muito cuidado em um lugar onde fosse possível escondê-la depois. Não incomoda, não dói, não coça. É praticamente como se não existisse.
É a marca física de um momento único, o mais importante até hoje. Foi a saída de um mundo e a porta para outro.
A outra, imperceptível aos olhos de qualquer um. Aos pouquinhos vai se curando, se fechando. Vez ou outra infecciona-se surge um líquido alcalino mais ou menos espesso, resultante da inflamação aguda, crónica constituída pelo exsudato inflamatório na alma. Mas sempre há uma pomadinha que cuida, as pomadas a base de luz do sol, brisa no rosto, abraço amigo, um olhar para dentro.
Uma se vê a outra se percebe.
Uma, com o tempo ficará clara, lisa, até bonita...pode ser que um dia seja aberta novamente, aí serão dois marcos para uma mesma lembrança.
Outra, estará sempre com um pedaço de pano ou papel untado de qualquer medicamento acima para abrandar correndo o risco de inflamar-se novamente.
Entretanto, a última será a cicatriz mais bela, trará sempre uma dorzinha no peito acompanhada de uma saudade gostosa e assim como sua precedência merecerá minha atenção e cuidado e não será somente a marca da "passagem" e sim o vestígio deixado na haste pelas folhas que caíram.

8 comentários:

Ai, ai!!
Valeu a pena a espera incômoda por seu próximo post.
Lindas concatenações.
Sempre que venho aqui, tenho ímpetos de abraçar alguém...

Beijos.

21/07/2008 23:22  

Desejei muito ter escrito aqui antes, mas a rotina dos dias não me permitiu... De qualquer forma, assim que conheci a página minha leitura foi integral. Literal. De uma só vez. Assim como um gole de remédio amargo que o corpo repele mas alma aceita por entender o significado. Chorei como tantas outras pessoas devem ter chorado ao ler suas palavras, Karen. Depois, pensei na vida e suas decisões misteriosas. Brinquei de imaginar as feições de Valentina - como pétalazinhas delicadas que o vento espalha pelo mundo. Li nas entrelinhas seus olhos orgulhosos. E amendrontados.
Dói saber de histórias como a sua e de Valentina porque é difícil se acostumar com os labirintos da vida, com nuvens que cobrem o sol. Com partidas. Mas o bem que faz para a alma é bem maior, Karen. Conhecer pessoas que não se cansam das lutas diárias, que começam tudo novamente em outro ponto da estrada, que buscam significado e sentido para o que vivem... É isso mesmo o que mais importa na vida. Estamos todos de passagem em um mundo efêmero, querida. Valentina viveu o tempo necessário para sua alma. E será assim com todos nós. Você é muito sábia quando diz que a pequena está lhe cuidando de algum outro lugar. A perda, o sofrimento e a distância não passam de reflexos em um espelho embaçado. Mas os laços afetivos, o carinho e o amor entre vocês - esses são reais e eternos. Esteja certa de que Valentina sente todo esse amor que move sua mãe guerreira, se orgulha e agora é quem torce por você.
Algum dia, ela é quem irá recêbe-la. Do mesmo modo com que você a recebeu aqui: braços abertos e o maior amor do mundo, mamãe.

Um beijo em seu coração.
Bárbara

22/07/2008 13:09  

Karen,
Nunca tinha olhado para a minha cicatriz da cesárea desta forma.
Muito lindo isso que você escreveu.
beijos,
Maria Carla

22/07/2008 14:54  

Muito tocante, querida. Mas olha, um dia uma dessas cicatrizes se abrirá para outra felicidade chegar e fazer seus dias mais leves. Esse dia vai acontecer. Beijos!

22/07/2008 17:08  

A Karen além de linda por dentro e por fora têm se mostrado uma poetisa de primeira!!! Ká, muito lindo tudo isso que você vêm escrevendo..E para suas "novas admiradoras" aqui do blog, eu diria que você é tudo isso e muito mais, espero que elas tenham a chance de conhecê-la pessoalmente!!! Parabéns! Te amamos beijos Bi e Gui

22/07/2008 17:45  

Karen, cheguei aqui vinda do teu comentário tão doce lá no bicho. Fui lendo de pouquinho e pouquinho, e o fato é que não consegui parar até que li tudo. O que posso te dizer? Tua caminhada é linda, intensa, especial. Me dá uma alegria grande demais quando vejo gente assim, que cai, levanta, aprende, melhora, e segue em frente, porque a vida tá aí pra isso mesmo. Karen, querida, tua pequena princesa estará para sempre com você. Os filhos vêm para nos transformar, e isso não acaba. Você se abriu inteira para receber a tua pequena Valentina, e não há beleza maior do que essa na vida: abrir-se para o outro, permitir que nos toque e transforme, ainda que doa.
Vou voltar sempre que der. um beijo grande.

22/07/2008 18:00  

Karen,

Tudo bem, querida?

Sou terapeuta floral e queria conversar com vc. Escreve para mim.

Meu mail está lá no meu blog.

Beijos.

23/07/2008 11:15  

Como sempre sensível, profundo, especial, inesquecível e inesperado. Vi que você me respondeu, de casa, com calma te respondo.
Bj no coração
Ma.

23/07/2008 13:22  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial