Blogger Template by Blogcrowds.

Inspirada pelo texto de um amigo, mas um pouco inverso, pensei nas lições que aprendi com minha mãe. Ainda não escrevi sobre ela, mas estou aguardando o momento certo pois faltam palavras para isso. Enquanto não desenvolvo algo tão especial, consigo resumir em como ela me ensinou durante a vida, até hoje.

1. Caráter: não importa a situação em que eu me encontre, ter um bom caráter é base da minha essência.
2. Ser eu mesma: não me importar demasiadamente com a opinião das pessoas, claro que isso tem um preço, mas a melhor sensação é saber que sigo meu coração. Não tenho vergonha de quem sou, de onde vim e do que faço. Minha mãe sempre foi ela mesma e é amada demais por todos que a conhecem justamente por isso.
3. Acreditar na minha intuição: seguindo a linhagem feminina da família, tenho aguçada intuição. Nunca me decepciono quando a sigo, por mais controversa que possa parecer.
4. Ter amor-próprio: não sou perfeita, mas me amo como sou. Procuro evoluir sempre, mas nada, nem ninguém destruirá este amor. Respeito para ser respeitada.
5. Personalidade: parecido com ser eu mesma, mas com um "quê" a mais. Sempre gostei de não parecer com ninguém, de ter minhas opiniões, por isso jamais alguém me verá discutindo muito sobre algo. Tenho minha opinião, você tem a sua, não pretendo mudar a de ninguém e raramente alguém consegue modificar a minha. Por isso pareço uma mula empacada muitas vezes. É também motivo para que eu fique bastante irritada quando alguém tenta me copiar ou se parecer comigo, acredite, já aconteceu muito.
6. Dignidade: ouvi muito isso dela quando a Lelê faleceu. "você foi muito digna, tenho orgulho de você". Foi a melhor coisa que escutei na vida. O meu peito se encheu de orgulho pois seguindo todas as lições anteriores agi dignamente e isso não tem preço.
7. Humildade: é uma delícia admitir que errou, quando isso é verdade. Lava a alma. Alma lavada traz paz. Ela me ensinou a não ter vergonha de pedir desculpas e claro, a Lelê reforçou este meu lado.
8. Coragem: Nem sempre o caminho que escolhemos é o mais fácil, mas o mais importante nisso é ter coragem e determinação para chegar onde quero. Essa lição custou a ela uma briga feia e alguns anos longe de sua filha que morava em outro país.
9. Aprender com os meus erros: esta lição tão importante aprendi não através de palavras mas vendo ela apanhar da vida também. Ela aprendeu, muito. E com isso me ensinou. Agora ela pode falar "filha, você caiu, mas olhe a pessoa que você se tornou. Sempre tente tirar algo de bom das coisas difíceis em sua vida".
10. Demonstrar o que sente pelas pessoas: Me ensinou a ser verdadeira. Graças a esta lição posso dizer que nunca uma pessoa me chamou de falsa. Se gosto demosntro, se não gosto também saberão. Não sei sorrir quando não tenho vontade. E sorrio sempre que tenho. Sendo assim, as pessoas que amo sempre receberão abraços meus sem motivo e ouvirão um "eu te amo" quando me der na telha.

E o mais importante de tudo é ouvir dela: "Não importa qual caminho escolha, estarei sempre do seu lado".

10 comentários:

Quando o Eduardo faleceu,pensei:Ainda bem que ela não viu isso. Ela cobrava muito um neto.Claro que senti falta do apoio dela, mas senti aliviada por a vida te-la poupado disso.Pq , quando virei mãe entendi mais como ela como mãe sofreria em ver sua filha passando por isso.

12/09/2008 16:14  

ah,hoje faz 2 meses que ele faleceu!Não sei pra q falo isso,talvez pra acreditar!

12/09/2008 16:18  

Quando a Valentina faleceu a minha mãe me surpreendeu. Muito. Não sei como seria não tê-la a meu lado e ela me mostrou que não hea como prever a reação de ninguêm nesta situação. Talvez a sua mnae te mostrasse isso, entende?

Qto a contar o tempo, é normal, eu contou até hoje e sei que contarei para sempre. Isso faz parte do luto.

bjs

12/09/2008 16:22  

Não sei como definir, mas a primeira idéia, embora insuficiente, muito aquém da realidade, é que as mães são mesmo seres muuuito especiais. Aliás, a missão delas exige muito preparo. Me pego pensando se daria conta de ser uma boa mãe. Suspeito que não...

A minha me ensinou mais do que ela imagina. Mas, se fosse para destacar, diria que humildade e honestidade, além de alguns aspectos fundamentais sobre relacionamento homem/mulher. Isso acho que foi mais herança. Eu e minha irmã aprendemos que mulher ciumenta e insegura pede para ser traída... Auto-confiança dá certo! rsrs

Beijos, meninas!

12/09/2008 19:25  

E é com todas estas "lições" que somos verdadeiras pessoas, dispostas a viver a vida, com o melhor que elas nos proporciona!
Beijinho *

13/09/2008 08:37  

Olá Karen, obrigada pela sua visita e pela sua postagem. Seja bem vinda sempre. Gostei desse seu canto aqui, abraços.

14/09/2008 17:08  

paty,
são mesmo, com certeza. a minha nunca foi perfeita, mas aprendi a compreendê-la assim...

martinha,
vivemos para aprender e continuamos a viver tendo aprendido!

karen,
obrigada tb!

bjs

14/09/2008 22:34  

Karen,

sua mãe te ensinou a ser uma pessoa especial! imagino que ela seja uma GRANDE mulher!!!!

beijos

Maria Carla

15/09/2008 15:06  

Este comentário foi removido pelo autor.

15/09/2008 15:07  

Mãe.
Acho que são investidas de um poder especial.
A minha está em tudo o que faço.
Sempre vivi muito perto dela, confidenciando "quase" tudo, ouvindo. Quando me mudei pra cá, foi muito difícil sem a presença dela, mas percebi a grandeza das coisas que ela me ensinou. É como se tudo fizesse mais efeito agora que estou longe e posso entender que se consigo passar por tantas situações estranhas ,é pelo que ela ensinou, é pelo que ela é e sempre será.

16/09/2008 13:02  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial