Blogger Template by Blogcrowds.

Bromélias

Linda flôr, comum, bela. Em suas lembranças as bromélias sempre terão algo paterno. Ele tinha muitas plantas e flores em sua casa mas bromélias sempre foram especiais. Não sabe porque, mas jamais verá uma sem pensar nele. Era um grande amigo, apesar de nunca ter morado com ele era figura presente em seu dia-a-dia, participante apesar de repentinos sumiços. Tinha problemas com álcool, mas ela não incomodou-se com isso quando pequena, pois amor nunca lhe faltou. Era um camarada gentil, engraçado, tirava facilmente sorrisos de qualquer rosto triste. Inteligente, impossível não se apaixonar por aquela figura cativante. Seu sonho era ter a família dos comerciais de margarina, mas demorou para que a conseguisse. O primeiro casamento ainda muito cedo, dois jovens não tinham maturidade para dar solidez a uma casa, uma filha. Esta muitíssimo amada, disputada praticamente a tapas. Não conseguiu na primeira tentativa, mas deu certo na segunda, anos mais tarde.
Aproveitou muito a vida, fez tudo o que teve vontade, inclusive foi irresponsável consigo mesmo. Sempre dizia "a vida é uma só, viva plenamente". Deu mais dois irmãos para aquela menina que também adorava uma família numerosa. Um homem lindo por dentro, com tantos defeitos como outro qualquer, mas como ele mostrava o que era "viver" a seus 3 filhos. A mais velha sempre teve uma relação diferente com ele, eram amigos. Quando ela perdeu a virgindade ele foi o primeiro a saber. O homem, no alto dos seus 30 e poucos anos via a responsabilidade de sua menina, acreditava em seu sucesso. A defendia com unhas e dentes das dores que a vida colocava, mas não percebia que ele mesmo causava algumas. Mesmo assim, ela a via como seu melhor amigo. perdoava seus erros e também o defendia. Não mudaria um defeito ou qualidade naquele que chamava de pai. Ele não fazia tudo certo como a maioria destes mas ela amava aquele sujeito espontâneo, tinha orgulho dele. Uma vez, fez com suas próprias mãos uma casinha de bonecas de madeira inclusive os móveis, quase do tamanho dela.
Ele fazia o que estivesse em seu alcance para vê-la feliz e o que não estava ele dava um jeito de alcançar. Um certo dia, quando pequena ela pediu as estrelas de natal. Sua avó dizia que não se podia ter as estrelas pois estas eram de todos e o homem disse "se você quer as estrelas eu as darei a você". Então, na noite de natal ela ansiosa por seu presente olhava para o céu estrelado e pensava "as estrelas ainda estão lá".... Quando abriu o embrulho feito tão carinhosamente por ele seus olhos encheram-se de leagrimas pois a caixa estava cheia de pequenas estrelas brilhantes com um cartão estas são as estrelas mais especiais, pois vieram do coração e não do céu". Ela nunca esqueceu aquela noite.
Ele tinha tanto orgulho dela, estava feliz que faltavam só alguns meses para a formatura dela na faculdade e dançariam a valsa dos pais para comemorar.
Então, 4 meses antes do baile aos 49 anos ele se foi deixando aqui uma filha que muito aprendeu com ele. Não dançaram juntos mas o homem estava muito bem representado pelo sogro dela, um segundo pai. Ela não chorou, sabia que de alguma forma ele estava a seu lado. Provavelmente agora está com sua neta apresentando-lhe as flores, as bromélias.
Em sua última conversa, um pouco debilitado ouvindo-a falar que faria de tudo para doar-lhe um órgão, disse "isso é consequência dos meus atos, não estou com medo. Portanto, minha filha, viva intensamente e sem medo mas apesar de tudo cuide de você com o amor que eu cuidaria".
Homem sábio.

17 comentários:

Você tem uma habilidade linda pra contar histórias, prende atenção.Estava agora com meu pai, vendo as bromélias dele(ele tem umas enormes e todo mundo critica,chama de criadouro de dengue,rs), sabe ele tem a mania de fazer a gente "passar em revista" nas coisas que ele gosta, agora na hora q estava indo embora ele me mostrou um ipê e disse: essa é a primeira vez q esta florindo,daqui um tempo ,quando eu já tiver morrido vc vai ve-lo muito maior, mais cheio, mais flores e se lembrará de mim.Não dei muita moral, mas agora lendo seu texto,lembrei e acho que fixou na minha cabeça.

10/08/2008 18:06  

O meu pai adorava plantes, flores, mexer na terra. Já eu não tenho esta habilidade detesto mexer na terra. Mas fiquei com essa imagem gostosa dele, o meu melhor amigo.
E meu pai nunca disse sobre morrer nada, pois ainda era jovem. Mas algumas coisas marcam demais.

bjs

10/08/2008 18:28  

Nossa, Karen... Seu pai era mesmo especial. Essa de te dar as estrelas de deixou comovida. Quanta falta vc deve sentir dele, não é? Não é pra menos. Hoje deve ter sido doloroso pra vc então. Pra mim só é legal porque meu marido pode curtir com filho. Antes era chato ter a obrigação de dar presente pro meu pai porque ele nunca foi próximo, nunca abraçou, nem beijou, nem ao menos conversou com a gente. Um pai ausente morando junto, sabe como? Mas, águas passadas.
beijo,

10/08/2008 18:48  

Lindo tudo o que vc escreveu do seu pai.
Sobre as estrelas, nunca vi algo tão lindo, Um homem sensivel não?
Estou amando vir aqui, é tanto sentimento que trnasborda! Bjs

11/08/2008 13:52  

Karen,

Você é uma mulher de sorte por ter um pai tão especial, tão carinhoso, tão presente.
Antigamente os homens eram criados para serem machistas, durões, distantes... Poucas pessoas da nossa idade têm estórias tão doces para contar do próprio pai.

Que linda essa estória das estrelinhas!! Quem sabe a Valentina foi mais uma estrelinha que seu pai quis te dar de presente, a mais brilhante de todas!

Adorei também o que ele te disse "viva intensamente e sem medo mas apesar de tudo cuide de você com o amor que eu cuidaria".
Pelas histórias que vc conta, dá pra perceber que entendeu direitinho o que ele quis dizer!

Beijos,

Maria Carla

11/08/2008 14:44  

Belas e tocantes palavras.
Que linda lembrança essa das estrelas.
Bjs.

11/08/2008 15:45  

Nossa, me encantei com seus textos, me fazem refletir muito, parabens

11/08/2008 16:06  

Não conhecia essas flores, mas gostei :)
E gostei deste textinho também!

Beijinho *

11/08/2008 17:30  

Chorei em seu post no momento em que você recebe as estrelas do coração de seu pai.
Depois que a gente cresce, pais não são heróis, são homens comuns, com certas grandezas que nenhum outro tem.
A ternura não fantasiosa que você imprimiu em seu texto, desperta na gente uma imagem bonita de pai.
O meu pai está vivo, mas está longe.
Todas as nossas aventuras vieram à mente agora e somaram à essa lágrima teimosa de agora.

Um brinde aos pais da Terra.
Um brinde ao seu pai.

11/08/2008 18:15  

Concordo com a Michelle sobre o episódio das estrelas. Cintilaram seu texto já tão iluminado. Mas ela é estrela, óbvio que gostasse, rs.

Queria eu conseguir homenagear as imperfeições do meu pai como vc fez com o seu. Fui menos complacente. Rebaixei-o de herói a bandido.

Tento lembrar do momentos maravilhosas da infância. Minha falta de generosidade não permite. Tenho tentado então, provocar alguns novos momentos agradáveis com meu novo pai. Tenho tentado...

... sobretudo luto para evitar não ter ecolha e ser obrigada a fazer homenagem póstuma.

Obrigada por me fazer pensar.

Beijo, Bromélia, rs.

11/08/2008 19:45  

tenho certeza que Valentina a estrelinha mais bonita do céu tem orgulho da mãe!

11/08/2008 20:51  

Meu pai hoje tem 49 anos, e eu não gosto nem de me imaginar com ele. Mas, apesar de qualquer coisa, é meu exemplo de vida.

Beijos.

12/08/2008 10:28  

Oi meninas,
Obrigada pela visita de vocês. Estava off line esses dias e não deu para agradecer.

Acho que meu pai sempre será especial para mim justamente por não ser a figura de super herói que geralmente os pais são obrigados a ser para seus filhos. O meu tinha tantos defeitos, vcs nem imaginam. Mas ele era muito especial mesmo assim, me enisnou a viver, não mascarava a vida nem tentava fazê-la tão diferente do que é para me iludir. Assim como minha mãe, esta sim, é incrível também, mãe nada convencional, mas aprendi a maá-la de qualquer maneira. Um dia escrevo sobre ela também.

bjs

13/08/2008 13:24  

Olá, Karen!
Estava sentindo sua falta. Vc é sempre tão atenciosa com as suas visitas...
Conte sobre sua mãe, sim. Quero conhecê-la.
beijos
Maria Carla

13/08/2008 16:23  

Oi Maria Carla,
vou escrever pode deixar!
bjs

13/08/2008 16:32  

é, quisera eu tb ter esse amor incondicional... na relação com meu pai, ainda vejo a famosa disputa, sobre a qual vc comentou no sblonogonoff.

somos muito diferentes, me irrito facilmente com pequenos comportamentos e comentários dele, e ainda me apego aos erros do passado. atribuo a ele a nossa relação meio manca...

apesar de tudo isso, acho que a minha mudança de cidade começou a surtir efeito. ainda não fui, mas já tenho estado mais tempo com ele. no domingo, ficamos juntos até tarde, vendo as fotos do meu baile. dançamos juntos, sim. mas imagino que não tenha sido com o mesmo gosto que vc e o senhor das bromélias fariam.

querida, fiquei tão feliz com o seu interesse em me passar a receita da carne assada... o problema é que eu me esqueci de revelar um segredinho: só como frango e peixe, há mais de dez anos! vc me ajuda com isso!? rsrs

grande beijo

14/08/2008 02:05  

é, quisera eu tb ter esse amor incondicional... na relação com meu pai, ainda vejo a famosa disputa, sobre a qual vc comentou no sblonogonoff.

somos muito diferentes, me irrito facilmente com pequenos comportamentos e comentários dele, e ainda me apego aos erros do passado. atribuo a ele a nossa relação meio manca...

apesar de tudo isso, acho que a minha mudança de cidade começou a surtir efeito. ainda não fui, mas já tenho estado mais tempo com ele. no domingo, ficamos juntos até tarde, vendo as fotos do meu baile. dançamos juntos, sim. mas imagino que não tenha sido com o mesmo gosto que vc e o senhor das bromélias fariam.

querida, fiquei tão feliz com o seu interesse em me passar a receita da carne assada... o problema é que eu me esqueci de revelar um segredinho: só como frango e peixe, há mais de dez anos! vc me ajuda com isso!? rsrs

grande beijo

14/08/2008 02:05  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial