Blogger Template by Blogcrowds.

Reverência ao Destino

Falar é completamente fácil, quando se tem palavras em mente que expressem sua opinião
Difícil é expressar por gestos e atitudes o que realmente queremos dizer, o quanto queremos dizer, antes que a pessoa se vá.

Fácil é julgar pessoas que estão sendo expostas pelas circunstâncias.
Difícil é encontrar e refletir sobre os seus erros, ou tentar fazer diferente algo que já fez muito errado.

Fácil é ser colega, fazer companhia a alguém, dizer o que ele deseja ouvir.
Difícil é ser amigo para todas as horas e dizer sempre a verdade quando for preciso.
E com confiança no que diz.

Fácil é analisar a situação alheia e poder aconselhar sobre esta situação.
Difícil é vivenciar esta situação e saber o que fazer ou ter coragem pra fazer.

Fácil é demonstrar raiva e impaciência quando algo o deixa irritado.
Difícil é expressar o seu amor a alguém que realmente te conhece, te respeita e te entende.
E é assim que perdemos pessoas especiais.

Fácil é mentir aos quatro ventos o que tentamos camuflar.
Difícil é mentir para o nosso coração.

Fácil é ver o que queremos enxergar.
Difícil é saber que nos iludimos com o que achávamos ter visto.
Admitir que nos deixamos levar, mais uma vez, isso é difícil.

Fácil é dizer "oi" ou "como vai?"
Difícil é dizer "adeus", principalmente quando somos culpados pela partida de alguém de nossas vidas...

Fácil é abraçar, apertar as mãos, beijar de olhos fechados.
Difícil é sentir a energia que é transmitida.
Aquela que toma conta do corpo como uma corrente elétrica quando tocamos a pessoa certa.

Fácil é querer ser amado.
Difícil é amar completamente só.
Amar de verdade, sem ter medo de viver, sem ter medo do depois. Amar e se entregar, e aprender a dar valor somente a quem te ama.

Fácil é ouvir a música que toca.
Difícil é ouvir a sua consciência, acenando o tempo todo, mostrando nossas escolhas erradas.

Fácil é ditar regras.
Difícil é seguí-las.
Ter a noção exata de nossas próprias vidas, ao invés de ter noção das vidas dos outros.

Fácil é perguntar o que deseja saber.
Difícil é estar preparado para escutar esta resposta ou querer entender a resposta.

Fácil é chorar ou sorrir quando der vontade.
Difícil é sorrir com vontade de chorar ou chorar de rir, de alegria.

Fácil é dar um beijo.
Difícil é entregar a alma, sinceramente, por inteiro.

Fácil é sair com várias pessoas ao longo da vida.
Difícil é entender que pouquíssimas delas vão te aceitar como você é e te fazer feliz por inteiro.

Fácil é ocupar um lugar na caderneta telefônica.
Difícil é ocupar o coração de alguém, saber que se é realmente amado.

Fácil é sonhar todas as noites.
Difícil é lutar por um sonho.

Eterno, é tudo aquilo que dura uma fração de segundo, mas com tamanha intensidade, que se petrifica, e nenhuma força jamais o resgata.


Carlos Drummond de Andrade

Difícil é dizer qualquer coisa que Drummond não tenha dito aí.

13 comentários:

Fácil ler um texto tão exato.
Difícil expressar em palavras os sentimentos diante de tantas verdades.

06/08/2008 23:53  

Sim com certeza. O que eu posso fazer é concordar!
bjs

07/08/2008 12:02  

O homem é sua própria medida.
E dependendo do lado do balcão em que estamos, nossas reações podem ser até contraditórias.
Mas eu não lembro de ninguém ter me dito que viver era fácil.
Na verdade, lembor mais do meu Rosa do sertão dizendo que viver é perigoso!

Em busca de intensidades!
Vamos lá!

07/08/2008 12:32  

oi,
Estava agora lendo e chorando pro meu marido e nos impressionando com a riqueza de coincidencias nos nossos caso,quando vc se referia ao sentimento na uti meu marido falou q era isso q ele sentia.At� a infec�o na uti, a expectativa de melhora!S� que nosso drama durou 40 dias,fora durante a gravidez, q no dia q descobrimos sexo,teve a mesma cara de preocupa�o do medico,mas era por 1 obstru�o da uretra q tinha comprometido o desenvolvimento dos rins, tbem fomos atras dos melhores especialistas em medicina fetal, cheguei a fazer 1 cirugia intr-uterina q foi 1 sucesso,tds achavam q daria tudo certo...
nasceu de 34 semanas...
meu e-mail � dlcarelli@hotmail.com,
e o seu?
beijos
danielle carelli

07/08/2008 12:35  

Sblognoff,

Realmente viver não é fácil, mas que graça teria se fosse não é mesmo? Não existiriam pessoas tão intensas, não existia tanto a ser compartilhado.
Então vamos né!

Danielle,
O que aconteceu conosco é tipicamente o tipo de fato que pensamos que só acontecem com os outros e quando nos vemos diante de situações como essas descobrimos quem realmente somos.
Passei 9 dias com a Lelê na uti e não tive tantos sustos assim pois ela só melhorava quando fomos pegos de surpresa. Qdo eu ia ao médico dela durante a gravidez vi muitas mães chorando na sala de espera e percebi que não estava sozinha.
Meu email é kamastria@gmail.com

Vamos nos falar mais.
bjs

07/08/2008 13:04  

Karen,
Todos nós já vivemos tantas experiências difíceis, né?
Quando a Letícia tinha 2 anos e meio, procurei uma escola perto da casa dos meus pais, pois eles é quem cuidam dela. Fui comprar toda feliz o material escolar, o uniforme, a lancheira, etc. Já na primeira semana ela caiu do escorrega, quebrou o braço e teve que fazer uma cirurgia com anestesia geral, etc. Sofri muito.
Depois de uns cinco ou seis meses, surgiu uma hematúria, que é a presença de sangue na urina. Então dos 3 aos 6 anos, quando ela ficava refriada, na sua urina aparecia sangue. São pouquíssimos os médicos que são Nefrologistas pediatra aqui em Brasília. Daí procurei a melhor. Ela fez mil exames e praticamente todo mês estava colhendo sangue no laboratório. Me lembro que ela só chorou na primeira vez, nas outras dezenas de vezes seguidas, ela não chorava. Ganhou diploma de coragem lá do laboratório. Quem chorava escondido era eu. O exame definitivo que ela precisaria fazer, a médica disse que só quando ela tivesse 6 anos, o exame seria realizado. Então, durante 3 anos, sofria escondido dela, com medo de perdê-la. Graças a Deus, é um problema em um gene que, segundo a médica não trará danos. De vez em quando, a unina dela aparece escura. Mas a médica disse que com o tempo isso desaparecerá.
Enfim, são tantas histórias...
E cada um com sua dor e sua alegria de viver.
Bjs,
Sheyla.

07/08/2008 14:54  

Vim conhecer, a Dani que comentou ai TAderbal, me mostrou teu blog, vc escreve muito bem, apesar das circunstâncias!

Fique Bem... a Valentina, uma fooofaaa.

07/08/2008 23:26  

Ontei eu escrevi um comentário enorme e, na hora de publicá-lo, o blogger não funcionou. Aff, que merda!
Então, o texto é lindo e traz tantos ensinamentos. Eu acho que se conhecer é tarefa das mais difíceis e exige muita coragem, paciência e sabedoria. É muito mais fácil ser superficial, sorrir sempre, deixar tudo pra lá. Mas, pra quem quer mais, isso não basta.

No texto, há frases que me tocaram muito, porque passam pela minha experiência pessoal. Muitas dessas coisas difíceis que o Drummond cita são, pra mim, motivo de muita reflexão e um tantinho de desespero.

Achei lindo!

P.S. Vc tem orkut, msn ou um desses meios de comunicação rápida?

Beijos.

08/08/2008 08:47  

Sheyla,
Poxa, mas que coisa. Por outro lado é bom que não a prejudicará não é mesmo? Tendo uma vida normal é o que importa.

Dani,
Obrigada pela visita.

Ju,
Poxa, não acredito!!! Agora fiquei com vontade de ler!

bjs

08/08/2008 11:41  

Li o seu blog desde a primeira postagem e vi sua evolução e recaídas no processo de desligamento.
Nunca foi fácil lidar com perdas, com partidas, nem de pessoas amadas, nem de corações.
Mas sabe, "todo mundo é parecido quando sente dor" e de uma certa maneira, pequenos fragmentos de luz que iluminam o mundo vêm de nossas vitórias sobre os escombros.
Alguns decidem desistir.
Não foi o que você fez. Você luta.
Mesmo nas sombras, nossa vontade de seguir, de encontrar alívio, nos impulsiona para algo maior, que independe de nossa fé ou da existência de um ser superior.
Depende apenas de nossa Vontade.
Pequenas vitórias, instantes de felicidade, algodão voando depois do sopro...
Essa é a beleza de existir!

Parabéns pelas constatações a respeito de suas luzes.
E por favor, não deixe que nada a apague.

08/08/2008 12:33  

Michelle,
Estou mais para acreditar em acão reacnao do universo, mas não deixa de ter o mesmo sentido.
Pode deixar, estou inclusive colocando mais uns pisca-pisca por aqui!!!

bjs

08/08/2008 12:56  

Karen,
a beleza está toda nisso, não é? na dança cheia de harmonia (ou às vezes nem tanto) entre os fáceis e difíceis, os feios e os bonitos, as dores e as delícias, as lágrimas e os sorrisos... um mundo todo de arco-íris, branco e preto só fica bonito na fotografia!
bjo

08/08/2008 13:53  

Este comentário foi removido pelo autor.

08/08/2008 13:53  

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial